Advogados em São José do Rio Preto - Trabalhista - Previdenciário - Consumidor - Civil

 Trabalhista - Previdenciário - Consumidor - Civil

https://www.churchiladvogado.com.br/


O PIX, instrumento de pagamento instantâneo do Banco Central, veio para revolucionar as transferências bancárias, dando agilidade e praticidade aos pagamentos do cotidiano.
😯 Contudo, o novo sistema, apesar de ter permitido transferências rápidas e gratuitas a qualquer dia e o horário e facilitado as transações aos consumidores, facilitou, também, a estelionatários, que conseguem sacar ou movimentar o dinheiro rapidamente, reduzindo o tempo da vítima para perceber a cilada e pedir o cancelamento da operação.
🔫 Golpes tem ocorrido em grande volume por todo o Brasil e de inúmeras formas, por meio clonagem (ou sequestro) de WhatsApp, páginas e arquivos falsos para roubar da…
[14:19, 03/06/2021] Amor: 💸 FRAUDES BANCÁRIAS E A RESPONSABILIDADE CIVIL DAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS 💸

👾 O PIX veio para revolucionar as transferências bancárias, dando agilidade e praticidade aos pagamentos do cotidiano.😯 Contudo, o novo sistema, apesar de ter permitido transferências rápidas e gratuitas a qualquer dia e o horário, facilitou a estelionatário saques e movimentações de dinheiro rapidamente, reduzindo o tempo da vítima para perceber a cilada e pedir o cancelamento da operação.
🔫 Golpes tem ocorrido por todo o Brasil e de inúmeras formas.

Hoje, falarei sobre umas das formas que vem acontecendo com grande frequência e facilitada a atuação desses criminosos:
🔴 a falha de segurança dos sistemas bancários 🔴

💭 Imagine a seguinte situação: ninguém tem informaçã…
[14:25, 03/06/2021] Amor: 👾 O PIX veio para revolucionar as transferências bancárias, dando agilidade e praticidade aos pagamentos do cotidiano.
😯 O novo sistema, apesar de ter permitido transferências rápidas e gratuitas a qualquer dia e o horário, facilitou a estelionatário saques e movimentações de dinheiro rapidamente, reduzindo o tempo da vítima para perceber a cilada e pedir o cancelamento da operação.
🔫 Golpes tem ocorrido por todo o Brasil e de inúmeras formas.

Hoje, falarei sobre umas das formas que vem acontecendo com grande frequência e facilitada a atuação desses criminosos:
🔴 a falha de segurança dos sistemas bancários 🔴

💭 Imagine que um dia você olha o saldo da sua conta, e vê que todo o dinheiro fora retirado num mesmo ato, num mesmo dia, por pix, a despeito de haver limitação para a transferência diária para o mesmo.
☎️ Você entra em contato com seu banco, contesta a situação. Eles afirmam não saber como tal ato ocorreu e ainda alegam que se trata de uma culpa exclusiva do terceiro.
E aí: não tem a instituição financeira obrigação de ressarcimento frente a ocorrência de uma fraude bancária❓

⚖️ As relações jurídicas firmadas entre pessoa física e um banco são relações de consumo.
🏦 Sendo o banco fornecedor de serviço, ele terá responsabilidade objetiva em relação a qualquer risco inerente da atividade econômica bancária, independentemente de culpa, ou seja, dele ser causador, seja por omissão, negligência ou da existência de vontade para tal ato.

💵 Além da devolução dos valores furtados, pode-se falar tanto em danos materiais como em danos morais, a partir da análise do caso concreto.
Dentro da sistemática do dano patrimonial, a indenização é devida pelos danos emergentes, dano que ocasionou a efetiva diminuição patrimonial da vítima, no caso o furto qualificado, e os lucros cessantes, se tratando daquilo que se deixou de ganhar.
🛍️ E, por se tratar de relação de consumo, é passível o pedido de repetição de indébito pelos saques feitos de forma ilícita, uma vez que pode ser equiparada a uma cobrança indevida.
😰 Quanto aos danos morais, há um prejuízo a segurança e a tranquilidade quanto a proteção de seus dados e de seu dinheiro.

🔐 Ainda, importa trazer como a questão foi tratada pela Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD).
😩 Na falha de tratamento de dados, como dita o art. 42 “O controlador (banco) ou o operador que, em razão do exercício de atividade de tratamento de dados pessoais, causar a outrem dano […] […] é obrigado a repará-lo.” 
Ver menos